Testemunhar faz parte da vocação de todo batizado. Se o Frei Maria-Eugênio insistia para que os membros do Instituto  Nossa Senhora da Vida fossem autênticos contemplativos, isto não era para os isolar  dentro de uma  clausura. O amor de Cristo deve se prolongar em um  amor  pela Igreja. “A Igreja existe para evangelizar” (Evangelii Nuntiandi, Paulo VI).

Para ser testemunha de Deus

O ateísmo e secularismo não representam perigos mas pedras à espera de um testemunho que poderá passar pela palavra, sobretudo pelo ser.

“Atualmente, o grande  meio  da missão, não é a discussão: as pessoas não acreditam mais. Não são nem mesmo as obras. O grande meio  é o testemunho de alguém que é tomado  por Deus, que por suas atitudes, por suas palavras , O deixa transparecer e mostra o que  Ele pode fazer na sua vida”. (Père Marie Eugène, En marche vers Dieu).

Marielle, membro de Notre-Dame de Vie, testemunha:

“No meio dessa multidão com a qual eu convivo no ordinário dos dias, no metrô, nas lojas, no prédio, Deus está  presente, mas tão, discreto e desconhecido.  Como sei que sou  mensageiro da Sua presença,  aí mesmo o chamo instantemente: “eu te suplico, que  minha simples presença silenciosa, permita a Tua presença criadora. Que meu pobre ser opaco se torne,  através de Ti, transparência da Tua  luz. Que o meu grito de intercessão abra os corações que Te esperam sem saber”.

E minha palavra também pode revelar Deus, se ela  traz o sabor da experiência, o eco de uma intimidade real com meu Senhor. Se o Evangelho que traz vida, se  encarna de repente e de verdade, em uma determinada situação concreta, na qual as minhas palavras vão traduzí-Lo e as minhas ações levarão a sua marca.

E tantas vezes, eu me sinto totalmente impotente para dar testemunho àqueles que eu gostaria de alcançar. Este é o momento  da esperança  da salvação. E volto-me para Deus em oração, com uma necessidade mais ardente e mais profunda. Pois, além da minha própria sede, aqui estou eu, responsável por  todos estes irmãos ligados à minha graça no projeto de Deus. Esta é a hora da oração suplicante que se identifica com a oração de Jesus Salvador, a oração ardente e dolorosa, que purifica e salva.